BlogUncategorized

Como negligência intencional pode impulsionar sua produtividade

By September 17, 2015 March 21st, 2019 No Comments

Eu sempre fico um pouco nervoso quando percebo que já está chegando o final do ano. É sempre difícil acreditar que o final do ano está logo aí.

Por que eu estou nervoso? Porque sinto que preciso correr muito para alcançar todas as prioridades pessoais e profissionais que eu fiz para mim mesmo no início do ano!

Veja como esse festival de estresse de fim-de-ano tem olhado para o passado: noitadas, copos jumbo da cafeína, dietas líquidas, liquidações chegando… (Eu estou em um suor frio agora só de pensar nisso) .

 

Como eu aprendi a parar de me preocupar e ser mais produtivo

Mas não é assim que eu respondo mais ao fim de ano chegando. A realidade é que eu sou menos ansioso do que eu costumava ser. Minha dieta fanática diminuiu, eu estou dormindo mais e minha mendicância não constrange mais os clientes.

Se você está sentindo a pressão do final do ano agora, pode estar se perguntando: “Como é que as coisas mudaram para você, Brandon?” Conforme tenho refletido sobre essa questão, eu acho que muito do que aconteceu comigo é devido a alguns insights de Jesus que tenho visto em João 12:1-7.

Esses insights de Jesus me levaram a pensar e priorizar minha vida de maneira diferente, e como resultado, durante o ano passado eu tenho visto um aumento na minha capacidade e produtividade.

 

Insights de Jesus sobre Enfoque e Prioridades

Vamos dar uma olhada em João 12:1-7 para ver se talvez esta visão de Jesus o ajude também! Aqui está a passagem:

Seis dias antes da Páscoa Jesus chegou a Betânia, onde vivia Lázaro, a quem ressuscitara dos mortos.
Ali prepararam um jantar para Jesus. Marta servia, enquanto Lázaro estava à mesa com ele.
Então Maria pegou um frasco de nardo puro, que era um perfume caro, derramou-o sobre os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos. E a casa encheu-se com a fragrância do perfume.
Mas um dos seus discípulos, Judas Iscariotes, que mais tarde iria traí-lo, fez uma objeção:
“Por que este perfume não foi vendido, e o dinheiro dado aos pobres? Seriam trezentos denários”.
Ele não falou isso por se interessar pelos pobres, mas porque era ladrão; sendo responsável pela bolsa de dinheiro, costumava tirar o que nela era colocado.
Respondeu Jesus: “Deixe-a em paz; que o guarde para o dia do meu sepultamento. (NVI)

Nos primeiros versículos encontramos Jesus vivendo as prioridades cristalinas. Esta passagem está localizada no meio de um processo que conduz  Jesus a entrar em Jerusalém para terminar a obra que Deus lhe deu para fazer. Outros escritores dos Evangelhos nos dizem que Jesus ajustou suas vistas resolutamente para Jerusalém (Lucas 9:51). Ele focou suas prioridades e está se movendo em direção ao seu objetivo.

Com este foco em ir a Jerusalém, observamos que algumas coisas mudam no ministério de Jesus. Os discursos a grande multidão param de acontecer, ele está viajando com poucas pessoas, ele não está multiplicando pães e peixes mais… sua vida tornou-se mais e mais focada sobre este novo foco: passar o tempo mais intensamente com os seus discípulos e, finalmente, vencer a morte e pecado morrendo na cruz e ressuscitar dos mortos. Esse foi o plano.

No entanto, nesta passagem, descobrimos que ele tem uma excelente oportunidade para se permitir se distrair um pouco… com certeza ele pode tirar o olho da bola por alguns momentos, certo?

Sim, Jesus está reclinado à mesa quando Maria vem e quebra um frasco de perfume caro, chora e limpa com seu cabelo. É um momento íntimo chocante com Jesus. Curiosamente, é Judas que está irritado com isso e teve que dizer alguma coisa. Sim, aquele que está no comando das finanças, roubando o dinheiro regularmente, e acabará por vender Jesus por 30 moedas de prata… está chateado que o perfume não foi vendido e o dinheiro “dado aos pobres”.

Inacreditável.

Portanto, esta é oportunidade de Jesus mostrar quem é Judas! Expor a fraude que é Judas! Revelar a verdade, honestidade e forçar o arrependimento. Mas Jesus não faz isso. Mesmo que fosse um trabalho que valesse a pena, Jesus sabe que não é o seu trabalho fazer isso agora. Ele mantém seu foco, e aceita a responsabilidade que lhe foi dada. Seu Pai diz “você não” vai fazer nada com essa oportunidade potencial, “Você tem o seu próprio trabalho, filho. Deixe-me cuidar de Judas”.

 

Prática intencional da negligência

Acho que (com líderes de alta capacidade, especialmente), enquanto líderes sabem e podem articular suas metas e prioridades, que muitas vezes permitem que muitas outras preocupações, tarefas e distrações tomem sua atenção.

Claro, você ainda pode fazer muita coisa, mas se você permitir distrações tomarem sua atenção e tempo, vão inevitavelmente roubar-lhe energia preciosa vital para a criatividade, foco e produtividade.

Você quer realizar tudo o que Deus tem para você? Desenvolver bem as prioridades e paixões em sua vida? Como Jesus, trabalhe não só para ouvir de Deus o que ele não quer que você se concentre, mas sempre o que ele quer que você intencionalmente negligencie.

Você vai se surpreender com a clareza e capacidade que vão te levar a encontrar avanço.

 

Quer agir agora? Peça a Deus:

O que eu sou chamado a me concentrar?
O que posso intencionalmente negligenciar?
Em seguida, basta confiar em Deus e cumpri-lo. Ele vai cuidar do resto…

Afinal – Deus cuidou de Judas. Jesus não teve que fazer nada.